Festa da Transfiguração do Senhor – 06/08/2017


Clique em “Transfiguração” para ver a liturgia.

Primeira Leitura  (Dn 7,9-10.13-14)

9Eu continuava olhando até que foram colocados uns tronos, e um Ancião de muitos dias aí tomou lugar. Sua veste era branca como neve e os cabelos da cabeça, como lã pura; seu trono eram chamas de fogo, e as rodas do trono, como fogo em brasa. 10Derramava-se aí um rio de fogo que nascia diante dele; serviam-no milhares de milhares, e milhões de milhões assistiam-no ao trono; foi instalado o tribunal e os livros foram abertos. 13Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho do homem, aproximando-se do Ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá.

Segunda Leitura (2Pd 1,16-19)

Caríssimos, 16não foi seguindo fábulas habilmente inventadas que vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, mas sim, por termos sido testemunhas oculares da sua majestade. 17Efetivamente, ele recebeu honra e glória da parte de Deus Pai, quando do seio da esplêndida glória se fez ouvir aquela voz que dizia: “Este é o meu Filho bem-amado, no qual ponho o meu bem-querer”.18Esta voz, nós a ouvimos, vinda do céu, quando estávamos com ele no monte Santo. 19E assim se nos tornou ainda mais firme a palavra da profecia, que fazeis bem em ter diante dos olhos, como lâmpada que brilha em lugar escuro, até clarear o dia e levantar-se a estrela da manhã em vossos corações.

Anúncio do Evangelho (Mt 17,1-9)

Naquele tempo, 1Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. 2E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol e as suas roupas ficaram brancas como a luz. 3Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. 4Então Pedro tomou a palavra e disse: “Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias”. 5Pedro ainda estava falando, quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra. E da nuvem uma voz dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo meu agrado. Escutai-o!” 6Quando ouviram isto, os discípulos ficaram muito assustados e caíram com o rosto em terra. 7Jesus se aproximou, tocou neles e disse: “Levantai-vos, e não tenhais medo”. 8Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus. 9Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes: “Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos”.

Reflexão

A Festa da Transfiguração do Senhor é celebrada sempre no dia 06 de agosto, mesmo que ocorra fora da liturgia dominical. Neste ano a data coincide com o domingo, o que possibilita a todos nós deixarmo-nos iluminar por esta celebração. Durante a Quaresma temos o domingo da transfiguração, onde Jesus prepara seus discípulos para enfrentarem os acontecimentos da Paixão. A Solenidade ocorre hoje, exatamente 40 dias antes da Festa da Exaltação da Santa Cruz que é dia 14 de setembro, também com a mesma finalidade.

A primeira leitura traz a visão do profeta Daniel, onde ele contempla a glória do filho do homem, a quem foi confiada autoridade sobre todas as coisas. Vemos aqui indícios da participação, da filiação divina de Jesus com o Pai e o seu reinado eterno. Embora o Reino de Jesus não seja deste mundo, Ele tem autoridade sobre tudo. Aliás, Jesus gostava de aplicar a si mesmo o título de “filho do homem”, como vemos repetidas vezes nos evangelhos.

Na segunda leitura temos o testemunho de Pedro, um dos que contemplaram a transfiguração de Jesus no Monte Tabor, onde uma voz vinda do céu reafirmou a Sua divindade. Ele afirma a divindade de Jesus, não se baseando em fábulas inventadas, mas um uma experiência de fé que ele mesmo vivenciou, ao ouvir uma voz vinda da nuvem certificando a divindade de Jesus.

No evangelho temos a narração do momento em que Jesus se transfigura, estando seu rosto e suas vestes brilhando como o sol. É a experiência da qual Pedro fala na segunda leitura. Junto a Ele estavam Moisés e Elias, o primeiro representando a Lei e o segundo os Profetas. No entanto, a voz do Pai que vem da nuvem convida a “escutá-lo”, não a admirar o seu brilho ou os dois que estão a seu lado. “Escutar” é mais importante que “olhar, ver, enxergar”, porque a fé não entra pelos olhos, mas pelos ouvidos (Rm 10,17). Iniciamos hoje o “mês vocacional”. Rezemos para que a voz do Senhor seja ouvida e se despertem vocações para todos os ministérios em nossa Paróquia.

Por fim, neste domingo somos convidados a rezar pelos cristãos perseguidos. Do dia 06 para 07 de agosto de 2014 mais de 100.000 cristãos fugiram do Iraque, depois de receberem um ultimato do Estado Islâmico. Desde esse acontecimento, essa data ficou como um dia internacional de oração pelos cristãos perseguidos no Oriente Médio e na África. Estima-se que um cristão é morto a cada 06 minutos, somente por professar a fé cristã. Por isso, o Papa Francisco nos pede para nos unir com ele neste dia, rezando por essas pessoas e pedindo que a paz seja alcançada nestes lugares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *